This is an example of a HTML caption with a link.

Archive for Maio 2013

HAJA O QUE HAJAR

MULHER QUE TATUOU ''HAJA O QUE HAJAR'' USA FAMA NA INTERNET PARA VENDER CAMISETAS

Imagem da tatuagem com a frase ''Haja o que hajar'' usada na capa do perfil de Lidiane Sousa

Quem é corintiano não deve ter estranhado quando uma tatuagem com os dizeres "Haja o que hajar" começou a "bombar" no Facebook e Twitter há algumas semanas. A frase, atribuída a um ex-presidente do clube, aparecia tatuada nas costas de Lidiane de Sousa, 30, e virou motivo de piada pelo erro de português. Mesmo chateada com os comentários maldosos sobre a tattoo, feita em homenagem ao marido, Lidiane está aproveitando o sucesso na internet para vender camisetas com a expressão que marcou "para sempre" no próprio corpo.

A moradora de Goiânia (GO) conta que ela fez a tatuagem, ciente do erro de português, em setembro de 2012. A foto foi tirada assim que o tatuador terminou de registrar a frase. Naquela época, a imagem foi colocada por Lidiane como imagem de capa no Facebook, mas só no final de março ela começou a repercutir na internet.  A hipótese mais provável, segundo ela, é alguém ter visto a capa do perfil, achado a foto original nos álbuns e compartilhado na rede social.

"Comecei a ver vários comentários me criticando no meu perfil. Fiquei muito chateada, me senti muito mal mesmo, porque as pessoas não sabiam o significado da tatuagem para mim. Toda tatuagem tem um motivo, as pessoas deveriam antes saber o porquê da minha", lamenta. Além das críticas, várias piadas circularam no Facebook e Twitter, com frase irônicas como "Haja o que hajar. Parabéns, tá serto [sic]" e "Haja o que hajar, antes de virar um tatuador, vou estudar''. 

Segundo Lidiane, trata-se de uma homenagem ao marido, José Reinaldo Machado, que conhece há três anos e com quem se casou em julho do ano passado. "Ele me disse uma vez 'Haja o que hajar, nunca vou te abandonar' e isso virou uma frase nossa. Eu sabia que a expressão estava errada, mas sempre teve um significado especial para nós", conta.
Até mesmo o tatuador estranhou o pedido de Lidiane. "Mas depois da explicação sobre o motivo para registrar a frase, ele concordou em tatuá-la, mesmo estando errada."
Repercussão negativa. E positiva
Depois de a foto ser compartilhada por milhares de usuários no Facebook e no Twitter, Lidiane diz que a fama da tatuagem acabou atrapalhando sua vida pessoal. Formada em Gestão Empresarial, ela atualmente está desempregada e diz que, durante uma entrevista para uma vaga, percebeu que foi reconhecida e que a entrevistadora não demonstrou interesse durante a conversa. "As pessoas me olham diferente. Não me falam nada, mas escuto os cochichos na rua. Até evito sair com roupas que mostrem a tatuagem", diz.


O casal Lidiane de Sousa e José Reinaldo Machado vende camisetas com a frase tatuada

Logo após o surgimento das piadas nas redes sociais sobre o erro de português tatuado, o casal cogitou processar os autores dos posts. "Mas é muito difícil saber quem começou tudo isso", explica. 
Foi então que ela e Machado decidiram seguir o conselho de amigos e usar a fama na internet a seu favor. Eles vendem camisetas personalizadas com "Haja o que hajar", marca que eles já registraram, e têm uma fanpage no Facebook. "Agora as pessoas já entraram na brincadeira. Várias das camisetas têm mensagens para levantar a autoestima, como 'Haja o que hajar, academia não vai me estressar'." A frase, inclusive, já caminha para virar moda na internet, como já ocorreu com outras expressões.
Os preços das camisetas vão de R$ 25 a R$ 33. "Ainda não deu lucro, mas já temos várias encomendas, aqui de Goiânia e até de outros Estados", diz Lidiane.
O casal prepara a venda de outros itens com a frase "polêmica", como canecas e pelúcias. Por enquanto, as encomendas são feitas pelo próprio Facebook, mas um site deve ser lançado ainda nesta semana – "haja o que hajar" – para vender os itens da nova marca.

"Muitas pessoas vão criticar e continuar comentando. Não vou deixar de viver por isso", conclui ela. 

Camisetas com a expressão ''Haja o que hajar'' são vendidas pelo casal pela fanpage da marca no Facebook
Fonte: Uol

ESCULTURAS

AS ESCULTURAS PERTURBADORAS E FASCINANTES DE MARIA RUBINKE



Desde que se formou na Escola de Cerâmica e Vidro de Bornholm, na Dinamarca, Maria Rubinke tem chamado muita atenção com suas esculturas, que quebram os paradigmas estéticos tradicionais relacionados com figuras pequenas e frágeis. A inocência e delicadeza de crianças, animais e anjos e da própria porcelana, material utilizado nas esculturas, são colocadas à prova. Sangue e vísceras contrastam com o branco da porcelana e a fragmentação e deformação de figuras tradicionalmente vulneráveis nos trazem de volta à realidade. Ou à surrealidade.











Fonte: Zupi.com.br

ANDORINHAS

TATUAGEM DE ANDORINHAS




Um desenho de tatuagem que é moda atualmente entre as mulheres é a andorinha, pela sua delicadeza e por muitos de seus significados. Vindas do Old School, as tatuagens de andorinha têm os mais diversos significados, que vão de fidelidade a experiências náuticas.

Abaixo, separamos algumas imagens para ajudar e inspirar seus desenhos.
















Fonte: Tattoo Tatuagem 

TATUAGEM PARA CEGOS

TATUAGEM PARA CEGOS


Todo tatuado adora ficar admirando as artes que têm pelo corpo, os traços, as cores e os desenhos. Mas e se ele for cego? Klara Jirkowa encontrou a solução. Enquanto assistia a um curso sobre tecnologia corporal, a estudante da Universidade de Artes de Berlim desenvolveu uma tatuagem que pode ser palpada. E assim nasceu a Braile Tattoo. Esse tipo de tatuagem é feita por meio de relevos na pele formando palavras em Braille (a “escrita de pontinhos” utilizada pelos cegos).

 O relevo pode ser feito a partir de três técnicas: implante, cicatriz e escarificação. O implante pode ser aço cirúrgico, titânio ou silicone. Este é implantado abaixo da derme, causando um relevo e formando as palavras. O melhor lugar para essa técnica são áreas carnudas, deixando-a invisível e perceptível apenas ao toque. O método da cicatriz já é bem diferente e pode não ter um resultado muito bom. Com uma máquina de tatuar sem tinta, o tatuador vai ferindo a pele para causar cicatrizes. O problema é que o tatuador pode acabar machucando a pele de maneira diferente, uma parte mais que a outra, e assim a cicatriz fica irregular, já que cada parte vai cicatrizar de um modo diferente. E o último método, a escarificação, é um processo onde a pele é retirada uniformemente. Quando a pele cicatriza, causa pequenas depressões na pele, dando o efeito Braille. A diferenças entre esse método e o da cicatrização é que ele fica mais regular, já que a pele é toda retirada na mesma medida.


(Sun – técnica do implante)

(Confianza – técnica de escarificação)

Há também quem faça uma braille tattoo mais conceitual. Esse tipo é para quem não é cego de verdade, mas quer homenagear alguém que é, assim a pessoa faz a tatuagem tradicional de agulha e tinta, mas tatuando palavras em Braille. Mas independente de como for feita, a Braille Tattoo deve ser realizada por um bom profissional, por causar riscos, como rejeição ao implante e inflamação.
Mas será que a Braille Tattoo faz sucesso? De acordo com o jonal “The New York Times”, não há como ter certeza, porque apenas 10% das pessoas com deficiência visual leem Braile, por isso a ideia é tão interessante mas não tem tantos adeptos. Com esse tipo de tatuagem, é possível ver que a arte não tem preconceito e está sempre disposta a romper barreiras para que todos possam compartilhá-la e senti-la.

(Trechos da música Trapeze Swinger do cantor Iron & Wine. É uma homenagem tatuada para seu irmão Aaron, que é cego – técnica de tatuagem tradicional com tinta preta e branca)
(Ouch – técnica de escarificação)
(Love)



 Fonte: Tattoo Tatuagem

1º JUNDIAI TATTOO FESTIVAL

1º JUNDIAI TATTOO FESTIVAL



Rolou nesse último final de semana o Jundiaí Tattoo Festival, primeira convenção voltada totalmente à tatuagem e ao encontro dos profissionais da área!
O evento foi realizado por empresários da cidade e tatuadores da região, e contou com um público de quase cinco mil pessoas!

Tatuadores não só de São Paulo, mas do Rio de Janeiro e da região Sul marcaram presença, alguns deles apenas para prestigiar a festa e outros para participar das competições de tatuagem, na qual foram julgados 15 estilos diferentes da arte! O evento teve a competição de melhor piercing exótico e contou com bandas de rock tocando ao vivo durante os três dias!

Confira na galeria de fotos algumas imagens do festival!
www.flickr.com



TATTOO WEEK 2013


PROMOÇÃO BRAZILIAN STEEL LEVA VOCÊ

 NA TATTOO WEEK 2013


Atenção, tatuadores!

Até dia 29 de junho, a cada R$ 100 em compras você ganha um cupom para concorrer 
ao sorteio e ir com toda a Equipe Brazilian Steel na Tattoo Week São Paulo 2013
 COM TUDO PAGO!

A promoção se estende à todos os representantes Brazilian Steel!
APROVEITE!

Confira em www.braziliansteel.net os endereços dos representantes em todo o País!



BRAZILIAN STEEL
Loja Matriz: Avenida Andrade Neves, 1656
(19) 3213-7237
(19) 8305-8807
89*19881
vendas@braziliansteel.net

TATUAGEM ANAL, NOVA MODA?

TATUAGEM ANAL, NOVA MODA?

A notícia é meio antiga, de agosto de 2012, mas percebi que ainda tem algumas pessoas que não viram, nem ouviram falar. Então, tá aí pra vocês!


Uma modalidade de tatuagem pouco conhecida pode se tornar uma nova tendência segundo participantes de um evento sobre o tema realizado no fim de semana em um centro de convenções da Flórida, nos Estados Unidos.
A tatuagem anal chamou a atenção dos visitantes da 17ª edição da South Florida Tatoo Expo, evento que reúne anualmente, além de tatuadores, atrações musicais, carros, shows exóticos.


Uma das participantes do evento contou ao site “New Times”, de Palm Beach, já ter tatuado o nome de dois ex-namorados no ânus e garantiu que tatuar o local é “muito, muito bom”.

Participante de evento de tatuadores na Flórida se submete à tatuagem anal (Foto: Reprodução / 'New Times')


Confira abaixo o vídeo da tatuagem:

Fonte: G1

IMPLANTES

MODIFICAÇÃO CORPORAL:

 IMPLANTES TRANSDERMAIS E SUB-CUTÂNEOS


Implantes transdermais, são adornos colocados debaixo da pele, criando um design único. O implante é feito através de intervenção cirúrgica, onde parte de uma joia fica escondida sob a pele da pessoa. Os riscos são os mesmos de qualquer outra modificação corporal “3D”, como possíveis inflamações, quelóides, além do risco de rejeição pelo organismo.

Implante sub-cutâneo: a peça fica completamente embaixo da pele, criando aquele efeito 3D com a pele elevada na forma da peça.
Implante transdermal: como o nome diz, são implantes que ficam parte embaixo da pele e parte por fora. Como os mostrados na segunda foto, em que a peça de metal fica exposta.














Fonte: Ig

EYEBALL TATTOO

EYEBALL TATTOO CHEGA AO BRASIL

'Chorei tinta por 2 dias', diz tatuador que decidiu pintar os olhos de preto

Sãocarlense realizou método denominado nos EUA como 'eyeball tattoo'.

Para Sociedade Brasileira de Oftalmologia, procedimento é perigoso.
Com 70% do corpo tatuado, Rodrigo Fernando dos Santos, conhecido em São Carlos (SP) como Musquito, resolveu inovar. Aos 39 anos, ele decidiu escurecer o branco dos olhos. A técnica, denominada “eyeball tattoo”, consiste em injetar tinta na camada de proteção dos olhos. O processo é irreversível. "Chorei tinta dois dias. Agora só mudando a cor para ficar branco de novo. Mas ainda assim acho que fica meio cinza", diz o sãocarlanse, que há sete anos trabalha como tatuador na cidade. "Não me inspirei em ninguém, fiz pela arte e para ficar diferente." Para a Sociedade Brasileira de Oftalmologia, o procedimento invasivo é desaconselhável e pode causar inflamação interna, levando à perda da visão.
Musquito foi o 13º brasileiro a experimentar o “eyeball tattoo”, há três semanas. O procedimento difundido nos Estados Unidos foi realizado em Jundiaí (SP) pelo tatuador Rafael Leão Dias, de 31 anos, considerado o único apto a realizar esse tipo de trabalho no país. Segundo ele, a tinta usada para esse tipo de arte é importada e não é a mesma utilizada nas tatuagens convencionais. Há também uma agulha especial utilizada como se fosse uma seringa. Para colorir os olhos, são necessárias três aplicações em cada um.


“Não há perfuração. A aplicação é feita entre a camada conjuntiva e a esclera, que protege o olho. Estudei a técnica durante dois anos e fiz a primeira aplicação em outubro de 2012. O procedimento não é proibido nem aqui nem fora do país. Não há risco nem dor devido ao uso de um colírio”, afirma Dias, tatuador há sete anos.

Método perigoso
 O especialista João Alberto Holanda de Freitas, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, afirma que o método é inteiramente nocivo e não adequado.


“Isso pode dar alguma complicação, com uma uveíte (inflamação interna) e a pessoa perder a visão. A recomendação é não fazer. O consenso da oftalmologia brasileira é para que não se faça isso”, ressalta o médico.
Apesar de saber dos riscos, o tatuador diz que estava 100% confiante de que tudo iria dar certo.


“Cheguei lá e minha esposa disse: 'Se você quiser amarelar, por mim tudo bem, não tem problema. Eu prefiro que você desista do que fique cego'. Mas resolvi correr o risco”, relata.


Ele pagou R$ 1 mil pelo procedimento, que durou duas horas. “O pós também foi tranquilo. Teve um pouquinho de irritação, como uma conjuntivite, mas não atrapalhou em nada. Os olhos ficaram lacrimejando e chorei tinta dois dias”, conta.
 Na volta para casa, Musquito sentiu o que a sua nova aparência causaria nas pessoas. O farol do carro queimou e a saída foi procurar um hotel para passar a noite, mas não deu certo. “A gente chegava à recepção, olhavam para a cara dele e diziam que hão tinha vaga, então a gente não conseguiu quarto", conta a mulher, Letícia Dias de Carvalho, de 35 anos.
Frase "Cuida da sua vida" foi tatuada na cabeça 

Preconceito

 O tatuador diz que está acostumado a lidar com situações como essa. Segundo ele, há muito preconceito, mas nada o faz baixar a cabeça, parte do corpo em que tatuou a frase “Cuide da sua vida”. “Eu não dependo da opinião de ninguém. Tem evangélico que me para no supermercado, pergunta o meu nome e diz que vai colocá-lo na lista porque o Senhor vai me salvar. Eu respondo: 'Mas me salvar do quê?' Isso é a opção da minha vida. Você gosta de igreja, eu gosto de tatuagem”, conta Musquito, que não tem religião. “Não acredito em Deus, não acredito em diabo.”
Ele diz ainda que, muitas vezes na rua, os idosos se assustam com a sua aparência. Uns atravessam de calçada e outros fazem até o sinal da cruz quando passam por ele, conta. Musquito afirma também que se engana quem pensa que ele é parado toda hora pela polícia devido à sua aparência.
“Muito pelo contrário. É super tranquilo aqui e fora da cidade. Eles sabem diferenciar quando é arte e quando é bandidagem. Tem muito ladrão e estuprador preso que têm Jesus Cristo e Nossa Senhora Aparecida tatuados no braço. Então o maior exemplo está em cada um mesmo”, analisa.





Amor à arte
Pai de três filhos (Évora, de 2 anos, Lucas, de 7, e Maria Eduarda, de 10), Musquito trabalha com tatuagem há sete anos. O amor pela arte surgiu quando tinha 13 anos. Segundo ele, o ex-namorado da irmã tinha um dragão e uma serpente desenhados nos braços. “Acabei tatuando um cavalo alado, coisa de moleque mesmo. Meu pai não falou nada, mas apanhei da minha mãe. Ela só conseguiu me segurar até a primeira, porque 15 dias depois eu estava fazendo a segunda”, relembra.
 Desde então, o sãocarlense foi pegando gosto pelos desenhos, começou a trabalhar na área e agora seu objetivo é tatuar 100% do corpo – ou melhor, 99%. Isso porque ele não pretende fazer uma tatuagem anal, procedimento que chamou a atenção dos visitantes da 17ª edição da South Florida Tatoo Expo, nos Estados Unidos, no ano passado. “Deve ser terrível, não vou experimentar. Esse é o 1% do corpo que não vou tatuar”, brinca Musquito.
A família dele e a da mulher entendem o gosto do casal pelos desenhos e não se incomodam com os excessos. As crianças também apreciam a arte, mas, segundo a mãe, só poderão fazer a primeira tatuagem, caso queiram, após atingirem a maioridade.
"A gente ama o que faz, logo a gente quer que eles sigam o mesmo caminho, mas não vamos impor nada. Como todos os pais, a gente espera que os filhos sigam os mesmos passos. Agora tatuar o próprio corpo somente depois dos 18 anos", diz a mãe.

Fonte: G1


- Copyright © MEDÁ CAFÉ - Hatsune Miku - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -